A importância de conferir o cartão de vacinação antes de viajar

Tem algum leitor por aqui que é “pé-na-estrada” de plantão, desses que não podem ver uma passagem aérea em promoção na internet que já compram? Brincadeiras a parte, viajar é algo realmente maravilhoso, então esse texto é especialmente dedicado a quem tem alergia a permanecer muito tempo no mesmo lugar.

Ao planejar uma viagem, quais as providências básicas você deve tomar?

( x ) Passagens

( x ) Hospedagem

( x ) Roteiro turístico

Se você pensou, inicialmente, nessas três coisas, saiba que realmente são necessárias, mas é preciso atentar-se a algo muito importante e geralmente esquecido entre os viajantes: atualizar o cartão de vacinas. Atenção especial para quem vai para o exterior. Para assegurar a saúde dos visitantes e das comunidades locais, alguns países só permitem a entrada de turistas vacinados contra determinadas doenças.

No Brasil ainda há algumas áreas endêmicas da Febre Amarela, como Amapá, Tocantins, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Acre, Roraima, Amazonas, Pará, Goiás e Distrito Federal. A vacina contra a Febre Tifóide também é muito importante. Ela deve ser tomada quando se vai para regiões com saneamento básico precário, como o Norte e o Nordeste do país, além da Ásia e África.

Febre Amarela

É necessário tomar a vacina contra febre amarela pelo menos dez dias antes da viagem e ela é válida por 10 anos. É preciso apresentar o Cartão Nacional de Vacinação devidamente preenchido com data da administração e lote da vacina, assinatura do agente de saúde responsável e identificação da unidade de saúde. É necessário também apresentar documento de identidade com foto.

Confira aqui os países que exigem certificado de vacinação para Febre Amarela.

O que é e como tirar o CIVP – Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia

O CIVP comprova a imunização contra febre amarela e outras doenças. Para tirar o CIVP é muito simples. A emissão do CIVP também é realizada gratuitamente pela Anvisa. O processo pode ser feito em unidades da própria Vigilância Sanitária, presente em todos os aeroportos brasileiros, e em Centros de Orientação para saúde do viajante. Como a Anvisa exige a assinatura do viajante, o procedimento para emitir o CIVP é pessoal e intransferível.

Ainda que muitas vezes o certificado de vacinação não seja efetivamente cobrado na entrada ao país, a recomendação é que o turista sempre entre em contato com o consulado ou embaixada do país que deseja visitar para adquirir estas e outras informações.

Confira aqui as principais recomendações para alguns roteiros.

Essa é a dica de hoje do Blog da Prevent. Se você já tem uma viagem marcada, acesse http://www.preventalergiaevacinacao.com.br/viajantes/ e confira quais as vacinas não pode deixar de tomar antes de embarcar.
Após a “picadinha”, aperte os cintos e boa viagem!

Share

Comentários

Comentários

Share